No espelho

28/03/2013 § Deixe um comentário

tatuagem

Via Fuck Yeah Blackwork Tattoos.

Pour une âme souveraine

28/03/2013 § Deixe um comentário

Tenho apenas a declarar que ando morrendo muito com esse disco da Meshell com versões de músicas da Nina, lançado em fins do ano passado. Que coisa incrível!

Destaque para as covers de Feelin’ Good e de To Be Young, Gifted and Black, parceria com Cody Chesnutt.

Retórica das Paixões

28/03/2013 § Deixe um comentário

“Tais são, pois, aproximadamente as mais importantes, por assim dizer, das coisas temíveis e das que de fato se temem; digamos agora em que estado de ânimo se encontram os que temem.

Se o temor é acompanhado de uma expectativa de mal aniquilado, é evidente que ninguém teme entre os que creem que nada poderiam sofrer; não tememos aquilo que não julgamos que não poderíamos sofrer, nem aqueles que não se crê que poderiam causar algum mal, nem mesmo o momento em que não poderia acontecer alguma coisa. Necessariamente, pois, os que pensam que podem sofrer algum mal temem não só as pessoas que podem causá-los, mas também tais males e o momento da ocorrência.

Não creem poder sofrer nem aqueles que estão ou parecem estar em grande prosperidade, o que os torna insolentes, desdenhosos e temerários (criam homens dessa natureza a riqueza, a força, o grande número de amigos, o poder), nem o que creem já terem sofrido todas as coisas temíveis e se tornam indiferentes ao futuro, como os que antecipadamente recebem golpes de bastão; mas para temer é preciso guardar no íntimo alguma esperança de salvação, com respeito àquilo pelo que se luta.

Eis uma prova disso: o temor nos torna aptos a deliberar; ora, ninguém delibera sobre questões sem esperança.”

trecho da Retórica das Paixões, parte do Livro II, da Retórica, do Aristóteles.

Quem se interessar, encontra o livro, em edição grego-português e ótimo prefácio do Michel Meyer, no Scribd. Mais Interessados — e mais com tempo — encontram a Retórica na íntegra aqui.

De algodão

24/03/2013 § Deixe um comentário

nuvem de algodão
Foto do
Brock Davis , que vi no moleskine da fofíssima Daniela Arrais.

Touch From Your Lust

06/03/2013 § Deixe um comentário

Now I long to feel the touch from your lust…

A Casa das Belas Adormecidas

06/03/2013 § Deixe um comentário

“- O que será? – Intrigado, desceu para ver. Era um fruto de aucuba. Havia vários deles caídos. Kiga retornou com um deles e, enquanto brincava com ele entre os dedos, contara a respeito da casa secreta. Dissera que ia lá sempre que o desespero de envelhecer se tornava insuportável.

– Desesperar-me por causa de mulheres parece até coisa de um passado bem distante. Veja você, inventaram mulheres que passam a noite adormecidas e não acordam. Uma mulher mergulhada no sono, que não fala nada,que não ouve nada: não seria, por outro lado, o mesmo que falar tudo, escutar tudo de um velho que já não tem virilidade para fazer companhia a uma mulher? 

Para Eguchi, entretanto,essa era sua primeira experiência com uma mulher desse tipo. A garota, por certo, já devia ter experiência de deitar-se com velhos como ele. Entregava-se totalmente e ignorava tudo, mergulhada no sono letárgico tal como uma morte aparente, deitada com um rosto quase infantil e respirando com tranqüilidade.

Talvez algum velho tivesse acariciado todos os recantos do seu corpo; outro, talvez, tivesse chorado em altos prantos com pena de si mesmo. Fosse como fosse, a garota não poderia saber de nada. Apesar de pensar em tudo isso, Eguchi ainda não conseguira fazer nada. Até para retirar a mão de debaixo do pescoço dela, ele o fazia como se tocasse em um objeto frágil. No entanto, a vontade de acordá-la com brutalidade não desaparecia por completo.”

trecho de A Casa das Belas Adormecidas, do Yasunari Kawabata. Quem se interessar, encontra o livro aqui.

Da Vetusta

03/03/2013 § Deixe um comentário

vista

Vista de BH, do 16º andar do prédio da Pós da FDUFMG, para onde voltaremos a partir de amanhã.

Bom semestre a todos os envolvidos.

Onde estou?

Você está atualmente visualizando os arquivos para março, 2013 em Felicidade estoica.